30 de jul de 2011

FARTO DE ANIMAIS

Estou farto de tanta mensagem de adopção e de apelo e de mais não sei o quê em relação aos animais que ninguém quer ou que alguém um dia quis e depois deitou fora.

Estou farto de sites de animais onde são Reis e senhores de paginas e perfis fabulosos, dando a entender que os seus donos os amam muito e que os animais são muito felizes... Sites onde o elitismo das raças é visível para quem quiser ver mesmo e onde os rafeiros parecem ser uma raça á parte.

Estou farto de ver as Senhoras a passear os seus cãozinhos cheios de LOP e AFIXOS e a olharem com desdém para as outras que não os têm com raça apurada.

Estou farto de ver merda de cão por todo o lado na rua, bastante indicador que não são os animais os porcos mas sim os donos.

Estou farto dos preços exagerados dos veterinários que tornam proibitivo aos menos abonados levarem e tratarem os seus animais doentes.

Estou farto de não haver uma politica decididamente activa e efectiva que defenda os animais e puna os maus donos.

Estou farto da obrigatoriedade de vacinar os animais e depois não ser permitido colocar o valor pago no IRS.

Estou farto de ver cães considerados perigosos serem abatidos depois de terem atacado alguém porque o dono não tomou precauções devidas e efectivas sobre isso e saia dessa historia apenas com uma reprimenda ou uma multa para pagar.. .Afinal o cão é de alguém e assim sendo de quem é a culpa?

Estou farto das pedinchices na net para ajudar este ou aquele cãozinho e das fotos dramáticas que apelam ao sentimento... Mas porque raio ninguém vai atrás dos donos!?.

Estou farto do vídeo da PETA sobre o abate de animais para fazer casacos de peles que roda á muito tempo na net sempre acompanhado de mensagens para as pessoas não verem porque é muito duro e chocante... Então em que é que ficamos, é para ver ou não!? Hipócritas da merda!!!!!!!

Estou farto das pessoas que dizem amar os cãozinhos e os gatinhos mas assim que eles crescem o que era amor passa logo a ser outra coisa.

Estou farto das pessoas que apesar de saberem que não o deveriam fazer continuam a deixar que os animais se reproduzam indiscriminadamente sabendo de antemão que não vão ficar com eles e que depois de crescidos também ninguém os vai querer.

Estou farto das pessoas piedosas que têm muita pena dos animaizinhos abandonados mas depois vão comprar os de raça e desdenham os tais abandonados.

Estou farto de pessoas que têm cadelas parideiras em catadupa para alimentar a vaidade das pessoas por cães de raça quando estão milhares deles (cães) a morrer na rua.

Estou farto dos cães e gatos como prenda de Natal, acabam sempre na rua quando chegam as ferias.

Estou farto dos estabelecimentos de porta aberta para a rua ou estradas poluídas e que proíbem a entrada de animais dizendo que é proibido e porque que os acham sujos, no entanto que dizer de algumas pessoas e crianças que frequentam esses mesmos estabelecimentos!?

Estou farto de pessoas que ameaçam denunciar os donos de estabelecimentos que permitem a entrada de animais mas se esquecem de que é feio cuspir para o chão, não lavar as mãos depois de urinar e virar a cara para o outro lado perante a desgraça alheia. Belos cidadãos, defendem afinal o quê!?

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Ás vezes penso que para grandes males grandes remédios... Se calhar, em vez de se abaterem milhares de animais no escondido, qual holocausto Hitleriano, deveria-se na praça principal de cada cidade fazer uma grande festa, o povo gosta de festa, chamar fotógrafos, jornalistas e até a televisão para um show ao vivo e matar animais um a um ali é frente de todos, todos os que estivessem a mais, aqueles que ninguém quer, aqueles que são abandonados todos os anos por este país fora... Sim, seria uma grande festa, e depois de mortos até se podia fazer uma mega fogueira para os cremar ali mesmo aos olhos de todos.
Podia ser que assim as pessoas não se esquivassem de ver o vídeo da PETA, o tal que vem sempre com o aviso para não ver (lol) e nos déssemos conta em boa verdade que somos egoístas e maus, tendo que assumir perante nós e os outros que aquele espetaculo foi para glorificar o facto de sermos a raça superior e nos intitularmos SERES HUMANOS que desprezamos os que temos ao nosso cuidado, sejam eles pais, filhos, velhos ou cães e gatos.

Sim,vamos todos fazer uma grande festa e comemorar a nossa bestaliedade para que mais ninguém tenha que se entreter a publicar fotos e a escrever textos chorosos de solidariedade para com os animais, que mais não são desculpas esfarrapadas da vergonha da nossa raça e das mentiras que abraçam apertadamente a nossa curta vida... Sim, nós não somos imortais...Também vamos envelhecer, ser fardo rejeitado e morrer algures.
Mas antes disso vamos lá matar os animais abandonados e fazer a festa por nos conseguirmos livrar em grande estilo dos entulhos...

Vivam os SERES HUMANOS e as suas curtas vidas de mentirinha...



26 de nov de 2010

CENSURA NO BLOGGER

A minha utilização de blogs começou duma forma um pouco estranha, ao ir visitando paginas de meu interesse na net pensei em reservar determinados artigos para posterior consulta.Artigos Diversos sem nenhuma ordem ou conteúdo especifico, apenas artigos que me agradavam e que eu sabia poderem vir a ser novamente utilizados por mim.
Nasce o meu primeiro blog, um blog onde eu guardava todas as paginas, links, artigos, imagens, etc...

Entretanto esse blog foi crescendo demasiado e senti necessidade de o arrumar por secções e assim facilitar a consulta dos artigos por temas. Nascem muitos mais blogs em extensões do original.

Ao aperceber-me da dimensão da coisa e de determinados artigos, raros, que poderiam ser do interesse geral,decido abrir os meus blogues ao publico e adorno-os com fundos e imagens apelativas ao tema a que se propõem...
E é aí que começam os problemas...


Uma censura apertada e por vezes ridícula aparece para me atormentar e sou informado diversas vezes que não posso ter conteúdos disto ou daquilo.Vou filtrando o que escrevo para manter os blogues online e acessíveis a todos mas mesmo assim recebo comentários de pessoas que se mostram indignadas com alguns textos ou imagens publicadas, como no caso do blog de Saúde onde falo sobre amamentação e coloco uma imagem duma mãe a amamentar um filho ou dum artigo sobre mitologia no blog de Historia onde as imagens, copias de obras de arte que estão espalhadas por museus do mundo inteiro, foram demais criticadas, ao ponto de me enervar e perguntar aos meus visitantes que criticavam as imagens se porventura também achariam que a imagem do Cristo pregado na cruz,visível em inúmeras obras de arte e na maioria das igrejas, seria algo alusivo a actividades sexuais, nomeadamente de Sado/Maso!?

Mas as criticas não se ficaram por aqui, no meu blog sobre Arte, reproduções de pinturas na altura do Renascimento  que contivessem imagens de anjos e querubins foram tidas como aliciantes á pedofilia e severamente criticadas pelos meus visitantes.

Mas há mais,muito mais... No meio destas criticas todas também os gestores do Blogger que pertence ao Google me foram enviando emails de alerta para este ou aquele post que continha algo considerado pornografia ou que não estava de acordo com as regras dos blogues que poderiam ser visitados por crianças... Que estranho mesmo, especialmente quando eu copiei um artigo sobre politica de um diário nacional para o meu blog de Noticias e também para o meu blog de Sociedade e sou alertado para o retirar pois era alusivo á discórdia...

Ao longo destes anos que possuo blogues, fui varias vezes alertado sobre os seus conteúdos e hoje foi a mancha total quando o Blogger me pune dizendo que o artigo sobre banda desenhada que tenho publicado no blog mãe, Cortinas Rasgadas não se encontrava conforme o que eles pretendiam.
Não apagarei nenhum artigo nem irem modificar nada do que publiquei até hoje, acho que se alguém acha que o conteúdo dos mesmos não está de acordo com o que as criancinhas devem ter acesso ou não, isso não me compete a mim decidir mas aos seus educadores que devem vigiar as crianças e não permitir que o computador sirva de ama dos mesmos...


Como contribuição para a incrível censura a que estamos vetados todos, decidi colocar todos os meus blogues sobre a tutela de maiores de 18 anos e com a indicação de conteúdo improprio,inclusive os de plantas e de culinária, não se vá dar o caso de alguém ou os censores de blogger acharem que aqueles alimentos têm uma forma muito lasciva ou que o sistema reprodutivo das plantas é historia pornográfica.

Sempre escutei, desde miúdo,que as asneiras não estavam com que as dizia mas com quem as ouvia... Acredito que esta frase é magnifica para terminar este post pois nenhum artigo ou imagem é má, no entanto o mesmo não se poderá dizer da interpretação dos mesmos.

Estamos aí...

7 de nov de 2010

ABANDONO / ADOPÇÃO

Já há uns 3 dias que via na rua um cão desconhecido a deambular por ali... Não era velho mas também não aparentava ser novito.
Chamou-me atenção a primeira vez que o vi, pois parecia-se imenso com a minha cadela, a Maria, só que era um pouquito mais claro.
Tinha ido á rua passear o Fred e como decididamente ele é um "cão simpático" e que não ladra a ninguém nem a nenhum cão (nunca vi um cão tão dramático/furioso), lá se lançou a puxar pela trela e a ladrar a um cão que tinha avistado na rua, era o tal... Não liguei pois achei que o cão deveria pertencer a alguém, é comum na minha zona as pessoas passearem os cães sem trela, independentemente de ser proibido ou não,e ai de quem faça algum reparo, arrisca-se a um filme de escândalos ali mesmo!

Quero acreditar que todos os cães são dóceis, mas há que não esquecer que tal como nós também os animais têm humores e podem realmente ser imprevisiveis,mas vá-se lá meter isto na cabeça das pessoas... Talvez quando saírem disparados atrás de algo e forem atropelados ou quando se emaranharem em lutas com outro que ande solto também ou se atirem a uma criança que por ali andava só porque sim... Talvez na desgraça as pessoas aprendam, mas duvido, talvez o cão leve uma tareia do dono e tudo fique como sempre foi... Acho que ninguém quer entender que muitas vezes por viverem tão em contacto connosco os animais acabam por ter determinados desequilíbrios que não são bem desequilíbrios mas talvez alterações comportamentais que os podem tornar imprevisiveis, como as pessoas...

Pois que não liguei ao cão e tentei puxar o meu para longe d a visão do outro, no entanto por ser tão igual á Maria fui virando a cabeça para trás...
Acho que foi aí que fiquei com a sensação de que o cão andava abandonado,mas segui...

Nesse dia á noite tive a certeza do abandono. estava á janela e pude ver o cão a deambular pela rua sozinho e passando mesmo debaixo da minha varanda pude ver que estava com o pelo mal tratado e sujo em algumas partes. Tentei chamar o bicho, fazer com que me visse,pois queria atirar-lhe um pouco de fiambre da janela. Lá me olhou e quando lhe mostrei que iria atirar algo para o chão, ele fugiu amedrontado e com aquele ar de quem já tinha passado um mau bocado. Fiquei triste pelo animal e por nada poder fazer, já tinha uma gata e dois cães adoptados, não podia mesmo...

Dentro de casa fiquei a pensar o quanto os meus animais eram mimados e demais amados, cheio de pena por todos aqueles que são deitados fora como se de um trapo velho se tratasse.
A Maria olhava para mim com aquele ar de preocupação e pensei na sorte que ela tinha tido depois da desgraça de ter sido deitada fora por alguém que não a quis mais no seu coração e na sua vida.
Quem seria tal pessoa, como conviveria com tal atrocidade, que pensaria quando escutava conversas de outras pessoas sobre abandonos e adopções!? Se calhar era uma daquelas pessoas que bate com a mão no peito e se enche de lagrimas com a facilidade de quem se liberta do animal que jurou cuidar um dia.

Pensei nas pessoas que dizem gostar de cães,de gatos e outros pets afins e ao fim de algum tempo é o que se vê, animais na rua...Mas porque raio as pessoas têm animais?
Claro que todos os cachorrinhos são um mimo de lindos, mas todos sabemos que eles crescem e que enquanto crescem vão dando muito trabalho e muitos cocós pelo caminho... Muito tapete e sofá estragado e muita coisa roída e é aí que começa a consciência da adopção e muito cão acaba na rua.
Também há os velhotes que nos fazem gastar muito dinheiro em veterinários e, privações para cuidar do animal que estive connosco toda a vida não parece conveniente para a maioria e mais uma vez o animal acaba abandonado em local desconhecido.
As ferias, a mudança de casa, o divorcio,o novo namorado ou namorada que não gosta do animal,a falta de tempo ou paciência, o dinheiro... tudo serve de motivo para colocar o cão na rua e se seguir com um sorriso novo na boca como se nada tivesse acontecido, pelo menos para a pessoa pois o animal seguramente que não pensará assim quando se vir em parte incerta, exposto a um mundo desconhecido, cheio de fome e de frio.

A Mariana

A Maria

A Maria e o Fred

Nunca me esquecerei da cara dos meus amigos, a maioria com animais, quando um dia numa saída nocturna eu disse que tinha que me ir embora pois tinha os animais sozinhos em casa á muitas horas. Os comentários mais estranhos vieram dos que tinham animais:
- Estão a dormir,estão na boa!
- São dois, estão entretidos!
- Eles aguentam e não te fazem nada em casa!
- Eles fazem na varanda não precisas de os levar á rua!
-Têm comida e agua,estão bem! etc... etc...
Pois é,tudo isso era verdade mas o facto é que eu tinha saudades e sabia que eles também pois faltava um elemento na "matilha" e esse elemento era eu. E quando um amigo me disse que eu preferia os cães aos amigos eu respondi que tal comparação não era digna de ser tomada em conta e fui feliz por ter estado alguns momentos com os meus amigos e por ir ter com os meus outros amigos, a Maria, o Fred e a Mariana, os meus animais.

Quando ia de ferias para casa da minha avó na província que tinha dois gatos,o Benfica e o Tareco e um cão de nome Farrusco, deparei-me com o facto de um tipo de cultura muito próprio das pessoas do campo com os seus animais,pois todos têm uma função e agora até o entendo...
Ela não nos deixava dar comida aos gatos pois dizia que se eles não tivessem fome não caçariam os ratos e ao cão não podíamos fazer festas em demasia pois ele passaria a gostar das pessoas e não defenderia a casa convenientemente.
Por acaso alguma vez encontraram algum aldeão activo com um Caniche,um Yorkshire ou um Bulldog francês por exemplo!? Claro que não e sabem porquê? Porque não são cães rústicos e não lhes servem para nada.
Já na cidade a conversa é outra e esses cães têm grande utilidade, uma utilidade emocional, sendo assim não entendo como podem as pessoas pôr os cães a andar de forma tão horrenda.
Na província ninguém abandona os seus animais, não os mimam nem andam com eles ao colo mas protegem-nos e cuidam deles para obterem o seu melhor e quando velhos permitem-lhes alguns luxos maiores como mimos alimentares e calor sempre dentro de casa.

Na província, os rafeiros são os preferidos, na cidade não e não é por se pagar quantias por vezes exorbitantes por um cachorro da mais pura raça que ele será bem tratado.

Não entendo como podem as pessoas deitar fora as emoções conquistadas e trocadas com um animal, depois de tudo o que se viveu e se criou, não entendo...
A única justificação que vejo são aquelas iras que os humanos mais fracos têm uns sobre os outros quando as coisas não lhes correm de afeição e imaginam desgraças, ódios e por vezes a morte do outro. Obviamente que não passam á acção, não o poderiam fazer por cobardia e medo da justiça, mas com os cães e gatos tudo é mais fácil e podem livremente dar azo aos seus ódios e frustrações pois acredito que é disso que se trata, de frustrações e incapacidade de lidar permanentemente com elas. Não se aprende nada na vida e quem sofre são os animais...
E todos sabemos disto, pois não é em vão que se fazem testes e testes para a adopção humana e mesmo assim nunca se tem a certeza, porque raio não se faz o mesmo para os animais!?

O cão continua abandonado e a vaguear pelas ruas indiferente aos olhos dos passeantes, vou deixando comida em locais onde o vejo passar á noite mas não tenho a certeza se é ele que a come e não sei onde dorme ou se acoita nos dias de chuva e frio.